Os estados-membros exigem um "período de transição" para permitir às operadores adaptarem-se às novas condições do mercado.

Durante este período defendem que as operadoras não devem aplicar taxas que excedam os valores cobrados pelos serviços em cada país,  mas podem aplicar um custo adicional, mais baixo do que o actual.
O texto, que é apresentado hoje,  terá depois de ser discutido com o Parlamento Europeu que no ano passado votou uma resolução contrária que defendia o fim destas taxas já no final de 2015. Também em 2013 a Comissão Europeia comprometeu-se em acabar com o roaming, ou seja, os valores que os utilizadores de telemóvel têm de pagar fora do país de origem.
O grupo político dos liberais do parlamento europeu já veio condenar a posição dizendo que os estados-membros estão mais preocupados em defender os interesses das operadoras do que dos cidadãos. 
COMENTÁRIOS

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.