Novo grupo torna-se a segunda força anti-UE e anti-imigração no Parlamento Europeu. Irá contar com cerca de 25 milhões de euros de financiamento extra durante os próximos 4 anos.

É um passo gigante para reforçar o poder da extrema-direita na Europa. O partido francês ‘Frente Nacional’ e o ‘Partido para a Liberdade' da Holanda (PVV) anunciaram a formação de um novo grupo político no Parlamento Europeu.

A líder da ‘Frente Nacional’ Marine Le Pen já escreveu no Twitter: "Vou anunciar a formação do nosso grupo - a Europa das Nações e Liberdade [ENF]” - amanhã, em Bruxelas.

Também o líder do PVV Geert Wilders fez ecoar o entusiasmo na mesma rede social: "Grande notícia e um momento histórico".

Desde que venceu as europeias em França que Marine Le Pen tenta formar um novo grupo político no hemiciclo de Estrasburgo. A falta de eurodeputados de diferentes países tem feito gorar o objectivo.

Segundo as regras do Parlamento Europeu, um grupo político deve conter um mínimo de 25 deputados de, pelo menos, sete nacionalidades diferentes.

Durante esta terça-feira serão conhecidos os restantes membros que deverão incluir o partido húngaro 'Jobbik', o 'Partido para a Liberdade' da Áustria, o partido flamengo 'Vlaams Belang', o italiano 'Liga Norte' e o polaco 'Congresso da Nova Direita'.

Eurodeputados não-inscritos poderão integrar a nova força, nomeadamente dois deputados neonazis, um grego e um alemão.

COMENTÁRIOS

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.