O CDS quer acabar com a tributação das operações de pagamento com cartões. Os centristas apresentam esta tarde, no Parlamento, uma proposta de alteração à tabela geral do imposto de selo.

Em causa está a norma, incluida pelo Governo no Orçamento do Estado, que sujeita as operações baseadas em cartões a uma taxa de quatro por cento.

Na altura em que foi discutido e votado o Orçamento para o ano de 2016, os centristas votaram contra a medida, usando como argumento o facto de a taxa acabar por recair sobre os comerciantes ou, no limite, sobre os consumidores.

Uma preocupação que dizem agora ter sido confirmada quando, em Dezembro, se soube que a Redunicre passou a cobrar o imposto de selo aos comerciantes.

O CDS entende que este é mais um imposto indirecto criado pelo Executivo de António Costa, e que põe em causa o combate à economia paralela.

COMENTÁRIOS

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.