O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, lamentou a "ausência temporária de liderança dos Estados Unidos" no domínio das alterações climáticas, num discurso que proferiu na terça-feira no Canadá.

Diante das mais de 6.000 pessoas que lotaram o centro de convenções de Montreal, Barack Obama falou sobre a situação dos Estados Unidos, embora tenha evitado mencionar o nome do seu sucessor na Casa Branca, Donald Trump, que tomou posse em janeiro.

Apesar de ter lamentado a decisão tomada por Washington, na semana passada, de sair do Acordo de Paris, "o mais ambicioso da história no combate às alterações climáticas", o antigo Presidente norte-americano mostrou-se otimista: "O acordo, mesmo com a ausência temporária da liderança norte-americana, ainda vai dar aos nossos filhos uma oportunidade de luta".

"Claro que estou desapontado com a atual decisão da Administração norte-americana de se retirar de Paris. Vamos ter que agir com mais urgência. Estou à espera que, no futuro, os Estados Unidos sejam um líder", observou Barack Obama.

Concluído em 12 de dezembro de 2015 na capital francesa, assinado por 195 países e ratificado por cerca de uma centena e meia, o Acordo entrou formalmente em vigor a 04 de novembro de 2016, e visa limitar a subida da temperatura mundial reduzindo as emissões de gases com efeito de estufa.

O acordo histórico teve como 'arquitetos' centrais os Estados Unidos, então sob a presidência de Barack Obama, e a China, e a questão dividiu a recente cimeira do G7 na Sicília, com todos os líderes a reafirmarem o seu compromisso em relação ao pacto, com a exceção de Donald Trump.

Lusa

COMENTÁRIOS

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.